Seminário Teológico Pentecostal da Benção de Deus

Menu

 
 

Indique nosso site

Seu nome:
Seu Email:
Email do Amigo:
 

Introdução de Relações Humanas

5/2/2009
Crescimento Espiritual - Relações humanas

 

Atos 11: 25 – 30

Base: Apóstolo Paulo

Primeira: aceitar Jesus: Paulo a caminho de Damasco – Atos cap. 09

Segunda: Paulo trabalha como auxiliar de Barnabé durante um ano em Antioquia, pois Barnabé foi a Tarso buscá-lo – Atos 11: 25-26.

Terceira: depois de um ano como auxiliar de Barnabé, Deus promoveu Paulo a mestre e profeta ver: At.11:27-30, cap 9: 16 e suas referências.

Quarta: a atuação de Paulo antes de ser mestre e profeta: primeiro: cooperador; segundo: diácono atuando nos serviços matérias da igreja; terceira: atuou como Presbítero (Pr local); quarto: fez trabalho de Evangelista (anunciando boas novas); quinto: foi mestre e profeta. E como mestre, atuou como professor durante dois anos, preparando missionários para atuar na Ásia.

Observação: para chegar a esse nível, Paulo foi:

1- Submisso,

2- Homem de oração,

3- Homem de jejum,

4- Vigilante,

5- Cordato,

6- Manso (bravo quando necessário),

7- Eloqüente,

8- Corajoso e conciliador,

9- Mas apesar de bravo, foi o homem que mais falou sobre o amor com tanta veemência. I Co 13. obs: Paulo não buscava cargo na igreja, mas quando solicitado, não recusava.

Na área educacional, Paulo foi um grande professor, pois nessa área ele desenvolveu uma sociedade de homens livres, através daqueles que possuíam “status de liderança” ou por aqueles que se esforçavam no sentido de adquirir conhecimento a habilidades para o trabalho do Senhor. Pois o irmão que não tem visão dos resultados de seu trabalho na igreja, diante de Deus e da sociedade em que vivemos está submergindo em submundo ilusório de seus preconceitos ou orgulho machista. E conseqüentemente e levado à desconsertada ignorância, a qual não lhe da vazão a humildade.

Apostila: Relações familiar e religiosa.

Conceito e enfraquecimento.

Característica fundamental para o crescimento da igreja.

Segue condições para os crentes de hoje:

1- Oração 6- compreensão

2- Jejum 7- conciliação

3- Vigilância 8- evitar o mal

4- Submissão 9- afaste da aparência do mal

5- Disposição 10-finalmente o fruto do Espírito Santo, junto com o controle

do espírito de acordo com Gl 5:22-26 e suas referências.

Requisitos para um Crente

1- Conhecer-se a si mesmo

2- Ser tolerante

3- Não discutir

4- Fazer com que os outros se sintam importantes, sem demagogia.

5- Não use de traição com ninguém.

6- Seja sempre otimista e confiante.

7- Seja controlado pelo Espírito Santo, e nunca use de indelicadeza e ironia com ninguém .

8- Reconheça os méritos dos outros sem se preocupar com os seus.

9- Não olhe os defeitos dos outros e assuma os seus.

10- Procure ser amável com todos e em qualquer circunstância.

11- Nunca de nada pensando em receber.

12- Não fale com os outros, a fim de conhecer e atender suas necessidades.

13- Procure conhecer bem as pessoas, a fim de conhecer e atender suas necessidades.

14- Procure estar sempre de bom humor.

15- Não seja antipático com ninguém.

16- Seja moderado em tudo.

17- Evite contrariar as pessoas.

18- Evite falar com voz alta.

19- Procure melhorar a expressão, a fim de evitar mal entendidos.

20- Seja sincero.

21- Reconheça com humildade os próprios erros, sem atribuir a outras pessoas, usando de subterfúgios.

22- Possuir a libertação de atitudes e idéias.

Palavras obscenas:

• Prostituição: vender o corpo.

• Lascívia: (grego) Aselgéria = devassidão – sensualidade (tentação do corpo)

• Impureza: pecaminosidade = sujeira

• Idolatria. Qualquer coisa que se venera antes de Deus.

• Feitiçarias: hebraico (Quesem) I Sm 15:23, grego (Kashaph) = encantamento com drogas.

• Porfias: discutir, não concordar.

• Emulação: rivalidade

• Heresia: utupiciar a palavra de Deus, incredulidade.

• Glutonaria: gula

Os que cometem tais coisas não herdarão o reino dos céus.

Relações humanas.

Introdução:

Consideramos que relações humanas, são o conhecimento social, num grupo de trabalho, implica na eficiência do trabalho aliado a liberdade dos trabalhadores na realização de um controle consciente e harmonioso.

Segue-se alguns requisitos para o bom relacionamento pessoal:

a) Conhecer-se a se mesmo

b) Libertação de atitudes e idéias.

c) Respeito e consideração uns com os outros, pois nunca temos direitos iguais.

d) Devemos ser tolerantes uns com os outros.

e) Procure não discutir.

f) Faça com que os outros se sintam importantes, sem demagogia.

g) Nunca use de traição com seus amigos.

h) Seja sempre otimista e confiante.

i) Seja controlado pelo Espírito Santo e nunca use de indelicadeza e ironia com ninguém.

j) Reconheça os méritos dos outros, sem se preocupar com os seus.

k) Não olhe defeitos dos outros e assuma os seus.

l) Evite fazer correção com indelicadeza.

m) Procure ser amável com todos e não se preocupe com a ignorância de alguém.

n) Nunca dê nada pensando em receber.

o) Não deixe a mão esquerda perceber o que sua direita faz de bom.

p) Procure conhecer bem as pessoas afim de atendê-las em suas necessidades.

q) Procure estar sempre de bom humor.

r) Procure as causas de antipatias que os outros causam a você, e ame-as ao invés de ser como elas.

s) Seja modesto e moderado em tudo, e não entre em discussões.

t) Saiba dar ordens.

u) Não fique indiferente diante dos problemas dos outros, a fim de transmitir-lhes consolo e paz nos momentos de dor.

v) Evite contrariar as pessoas.

w) Evite falar com voz alta, e não queira sempre ser o dono da verdade, pois você pode estar errado.

x) Procure melhorar a expressão, a fim de evitar mal entendidos.

y) Seja sincero e não confunda rudeza com sinceridade.

z) Reconheça com humildade os próprios erros, sem querê-los atribuir a outrem, usando de subterfúgios.

 

Relações familiares

O relacionamento familiar e comparado com um pequeno organismo social, e é ao mesmo tempo o ponto central do relacionamento mundial. Pois no relacionamento familiar deverá haver além do amor compreensão e respeito total. Diálogo franco e aberto, para que possamos também, através de diálogo consciente e compreensivo, manter o equilíbrio no relacionamento entre pais e filhos. E assim teremos através deste “micro-organismo” bem equilibrado, uma sociedade mais descente e mais moralista.

Relacionamento no trabalho

Para se obter eficiência no trabalho, e necessário que a empresa crie um ambiente saudável e confiável ao trabalhador. Pois cada indivíduo deve estar ciente de sua importância e de seu valor para a empresa. Segundo um psicólogo americano “Pode-se comprar o tempo, atividade física e muscular de uma pessoa”, mas não pode comprar o entusiasmo, iniciativa, lealdade e verdade. Pois essas coisas devem ser conquistadas. Pois é nessas conquistas que residem todos os problemas de relações dentro da empresa.

Relações Humanas na Escola

O bom êxito do processo de ensino da aprendizagem depende do bom relacionamento do professor com o aluno, pois você poderá ser o melhor professor em conhecimento e ética de ensino, mas se te faltar o bom relacionamento, você se converterá no pior professor de sua escola.

 

Relações Religiosas

A religião organizada e atuante desenvolve um papel relevante perante a sociedade. Ela assume o exemplo da ordem, honra, respeito contribuindo dessa forma para uma melhor civilização e educação humana.

 

Conceito do líder

Existe uma grande diferença entre um líder e um chefe.

Chefe: Preocupa-se com tarefas.

Líder: Procura entusiasmo ao seu tempo, e desperta interesse pelo trabalho cooperação que seu subalterno deve lhe prestar.

Tipos de Líder

Primeiro: Líder autocrático: Esse por sua vez é ditador. Subestima os valores que possui no grupo. Da ordem e não aceita discussão. Não tem capacidade de compreender e provoca reações hostis no seu grupo.

Segundo: Líder tipo: Laissez Faire: (chefe não atuante). Esse por sua vez, tem por lema: “Há deixa como está” e inseguro, não assume seus atos, tem medo de responsabilidades. Não dá instrução ao seu grupo. Deixa cada um fazer o que quer, e sua liderança gera atritos e desorganização.

Terceiro: Líder democrático: preocupa-se com a participação dos membros em todos os trabalhos. Estimula e procura orientar a todos no mesmo caminho. Orienta seus membros a tomar decisões. Quando critica alguém, sua crítica é sempre objetiva. Sabe avaliar esforços de todo seu grupo, com o objetivo de formar novos líderes. Sempre se identifica com seu grupo e colabora concordando com as decisões tomadas, para resolver qualquer problema, sem quebrar a harmonia dos membros. Às vezes assume erros de membros do seu grupo para estimulá-los a serem corrigidos no futuro. É paciente e tolerante, crê na capacidade de seus comandados.

Conceito de Liderança

O ser humano, em geral, encontra maior dificuldade para satisfazer suas necessidades mediante o enfraquecimento de suas próprias forças, devido à miséria que o mundo vive, que de forma ou de outra, atinge toda a população mundial. Sendo uns mais e outros menos. E por causa de tamanha recessão mundial, que os líderes de grupos tem assumido significativa posição na sociedade, ao conduzir o seu grupo em harmonia mediante tudo isso, é quase um milagre.

O que é uma liderança? Liderança e pois a habilidade de exercer influencia interpessoal através de uma comunicação aberta, inteligente e saudável. Para alcançar um objetivo comum.

 

Requisitos que uma liderança precisa ter

1- Compreensão dos processos de integração social.

2- Personalidade administrativa.

3- Ter conhecimento geral na área cultural e se for possível especialização em administração. Ser destro em comunicação. Possuir domínio próprio, e incentivar seus subalternos ao desenvolvimento de sua função.

4- Ser formando em relações humanas, ou pelo menos, ter um conhecimento básico de alguns aspectos do comportamento humano. Isto e da característica da dinâmica humana.

Área Educacional

Essa área se desenvolve numa sociedade de homens livres, através daquelas que possuem títulos de posição de “status” de liderança ou por aqueles que lideram devido seu conhecimento e habilidade.

O Líder como Supervisor

Esse tipo de liderança, só poderá ser confiada a aqueles homens que realmente sabem. Exemplo: É necessário que o supervisor tenha um conhecimento completo ou básico das seguintes áreas:

a) Programa escolar,

b) Sócio - econômico

c) Apresentar um currículo idôneo de seu passado,

d) Apresentar métodos de trabalho,

e) Que tenha boas relações no núcleo familiar,

f) Estar bem seguro das técnicas de avaliação de seu trabalho antes de executá-lo, e para um bom desempenho educacional, muitas vezes ele deve atuar como aluno e professor ao mesmo tempo. Deve estar sempre estudando, pesquisando, para melhor integração da teoria e da prática do ensino. Pois mesmo um líder educacional, dos mais bem preparados, deve continuar a ser estudante de educação em todas as áreas, a fim de que possa exercer uma liderança inteligente junto aos liderados.

Conclusão

O líder ou supervisor que não tem visão dos resultados de seu trabalho, de uma forma mais rica e bem sucedida diante de Deus, da sociedade e de seus liderados, em que vivemos, está submergindo em um mundo ou submundo de seu preconceito, ou orgulho machista, o qual é levado pela desconsertada ignorância, a qual não lhe dá vazão à humildade.

Professor

 

Deve trabalhar e lutar por oportunidades educacionais que ultrapassem as de sua escola, e buscar sempre novos conhecimentos que constitui, em adequadas oportunidades na educação de seus liderados, ou alunos. E com isso facilitando o aprendizado do grupo, para que eles tenham, através do ensino recebido, onde apoiar sua fé, e desenvolver um programa de grande alcance para a sua igreja, ao invés de ser invadidos por diversos pensamentos sem fundamento confiáveis o qual poderia levá-los a escuridão por detalhes comuns, que possam obscurecer suas visões de melhor futuro para a igreja e a sociedade.

Características Fundamentais para uma Liderança

1) Confiança em si mesmo,

2) Energia,

3) Senso de oportunidades: essa qualidade é uma fusão de imaginação, vigilância e previsão. Pois idéias colocadas fora do tempo, não servem para liderar ninguém,

4) Clareza: um líder deve sempre parar e pensar antes de qualquer tomada de decisão, e depois de pesar na balança seus pensamentos, transmitir lucidamente aos seus liderados,

5) Coragem: coragem é a capacidade de enfrentar e agüentar o que for necessário para defender seu povo,

6) Magnetismo: ao líder é necessário que possua esse atributo, pois o mesmo é quase impossível se ser analisado. É a qualidade que atrai as pessoas, e faz com que elas confiem nele de tal forma, que se preciso for o povo se sacrifica pelo seu líder,

7) Interesse: o líder que não desperta interesse pelos seus liderados, logicamente perde o magnetismo, pois a experiência nos tem ensinado que as pessoas nunca seguirão seu líder, se sentirem que ele não se interessa por elas. Pois o interesse pelos outros é um sinal de imaginação e visão, e não elementos fundamentais para uma boa liderança.

8) Moralidade: um líder em sua carreira não terá êxito se não tiver moral, pois a moral é um severo código de ética. Essa qualidade é indispensável na vida de um líder. Pois sem ética moral uma pessoa não pode liderar ninguém.

9) Fé: um pastor deve acima de tudo, acreditar em si mesmo e dar crédito ao seu povo. Bem como no objetivo para onde está nos levando. Mais deve ser sempre vigilante.

10) Verdade: um homem mentiroso jamais pode liderar alguém. Pois a verdade é um dos pontos mais importantes para um verdadeiro líder.

Observação: Se algo não convém, não faça. Se não é verdade, não diga. Pense muito antes de falar e prometer, pois o muito falar corrompe os bons costumes, pois prometer e não cumprir se torna perigoso.

 

Como se prepara uma Reunião

1) Fazer um esboço e determinar os objetivos da reunião,

2) Relacionar os aspectos de mais destaque,

3) Orientar tecnicamente os liderados,

4) Toda reunião deve ser planejada antes,

5) Presidir de maneira clara e com segurança. Saber ser flexível e ter autoridade quando for necessário,

6) Introdução dos assuntos a serem tratados, e depois dar prosseguimento à reunião,

7) Prepare o lugar da reunião,

8) Não permitir que a reunião se transforme em pequena guerra,

9) Não permitir que os participantes da reunião fujam da pauta inicial,

10) Ser pontual tanto para iniciar, quanto para terminar.

 

Fases da Reunião

1) Abertura, introdução, palavras de agradecimento aos participantes;

2) Dar o tema da reunião como forma de incentivo aos participantes.

Definição de Conduta de Reunião

1) Se for coletora, o líder pede a colaboração de todos,

2) Se for informativa, o líder apresenta o tema, e o que decidiu. E em seguida pede a colaboração de todos,

3) Esta conduta pode ter três tipos, vejamos:

a) Fatos simples: campanhas espirituais, construção de templos, etc. e discutir para chegar a uma conclusão.

b) Fazendo perguntas ou esclarecendo decisões,

c) No caso de empate de opiniões usando a palavra como voto Minerva, ou seja, palavra final. O líder pode promover troca de idéias, pois com isso visa incentivar mais a reunião. Entretanto e necessário que o líder controle as discussões, não permitindo com isso que a reunião seja monopolizada por ninguém.

d) Procurar sempre resumir o que está sendo discutido para evitar degeneração da reunião.

Resumo

Essa é uma das partes mais importantes, pois aqui o líder deve fazer uma correção entre as respostas obtidas e o que foi proposto por ele no início da reunião e chegar a um resultado positivo. Devo lembrar-vos que nesse exato momento, todos os participantes já estão exaustos, e alguns inquietos, por isso o líder dever ser eficiente e rápido.

Do Plano de Ação

A decisão é: como vai ser encarados o problema e seu comportamento a partir da avaliação:

1) Como foi a reunião? “Medíocre, ruim, boa, ótima, excelente”.

2) Eu quis dar opinião e não o fiz. O líder abre exceção para o membro falar, perguntar e ser ouvido. Quais os pontos que quis abordar.

3) E finalmente, o líder termina a reunião, com uma palestra coletiva, procurando destacar quais foram os pontos fortes e os pontos fracos da reunião e com isso se tornar mais eficiente e mais produtivo na próxima reunião.

 

 

Referências Bibliográficas de Pesquisas

a) Weil Pierre – Relações Humanas na Família e no Trabalho. Editora Vozes – Petrópolis – Rio de Janeiro – 24ª edição - 1971.

b) Howells G. W. – Aspectos Humanos de Gerencia. Editora Vozes – Petrópolis – rio de Janeiro 1972

Pesquisador e Elaborador

• Pastor Francisco Gonçalves Junior

Seminário Pentecostal da Benção de Deus

Rua Olegário Ribeiro, 54. Bairro Industrial

Contagem MG 1988

 

 

Pastor. Professor. Francisco Júnior


Voltar
Mais Informações
Rua Dr. Olegário Ribeiro, nº 54 – Bairro Industrial – Contagem – MG
Tel: (31) 9909-0724 / 9688-1790 / 3322-7473 -
Email: contato@formandopastores.com.br

Copyright © 2005 Formando Pastores - Todos direitos reservados.
Desenvolvido por: TECNOIG - Com Dons e talentos Desenvolvendo Tecnologias.